Seguidores

domingo, 25 de abril de 2010

"Chora o Sertão !!!"


Poeta Cigano.

Agoniza a terra, sem perdão,
O sol a sangra, com furor,
De morte é ferido, seu chão,
Desesperado, é seu grito de dor!

Pasmem, é duro de ver,
O valente sertanejo, chorar,
Na penúria, a terra morrer,
E ele, ali, ajoelhado rezar!

A Deus, pedindo pra chover,
O rude chão seco, regar,
A benção dos céus, receber!

Não quer mais precisar orar,
Só ver o seu Sertão renascer,
E o sofrimento acabar!!!!!!!!!














5 comentários:

M@ria disse...

Estou aqui
apenas para uma visita breve
sem passaporte ou bandeira.

Sem limites... sem identidade.

Me deixando espalhar em pétalas
para que meu suave perfume um dia seja saudade.


(Rosy Moreira)

Feliz semana com amor, paz e poesia... M@ria

Tatiana disse...

Um soneto que fala do sofrimento dos nossos irmãos...
Uma triste realidade do nosso país!

Tenha uma ótima semana!

Um abraço carinhoso

Bruxinha da Noite disse...

Meu querido amigo e irmão de jornada Carlos, sempre fico emocionada com suas palavras e gostaria muito de ter mais tempo para vivenciar estes carinhos que recebo de tantos amigos como vc!
Mas ultimamente vejo o tempo como gotas preciosas que escorrem pelos dedos!
Mas tenha certeza que o tenho em meu coração!
Sempre que puder estarei aqui a prestigiar suas poesias que me encantam e muitas refletem a verdade da vida que encerras em palavras soltas!!!!

Querido amigo, agradeço seu carinho e retribuo lhe deixando o desejo de uma semana abernçoada e mts rosas para florir e enfeitar seu caminho!!!!

Abraços desta amiga que mt te estima!!!
Bruxinha da Noite

Chiquinha Menduina disse...

Eu Ví Gente Chorando

No sertão de meu Deus
eu vi as pessoas chorarem
mas a dignidade supera tudo
a alma de sertanejo vejo e
Num lampejo imensurado de dor
a luta continua !
Gente sofrida, doida, apenas
o amor os conforta nesta dor,
Trago-os dentro de minh'alma
A dor e o sorriso do sofredor
Sertanejo êle é!!!

Menduina, Para você Carlos com amor!!

Mary Cely disse...

Muito belo seu espaço amei .Parabéns abraços poéticos