Seguidores

terça-feira, 20 de novembro de 2012


Chuva no Sertão...!!!

 









Poeta Cigano.

Gotas d’águas, já beijavam, aquele chão,
Doído, seco e duro, semimorto a agonizar,
Delas se saciava a terra, com sofreguidão,
Acolhia suas entranhas, essa doce benção,
Ávida e faminta, só queria ela, as devorar!

O velho açude vazio, cada pingo abarcava,
Deslizava a água, sobre o casebre, de sapê,
No tosco cocho, rude, um jegue se saciava,
O sertanejo que a tudo via, não acreditava,
Mas suas lágrimas não podia ele esconder!

Os desacreditados arbustos, ganharam vida,
Toda vida por ali parecia querer ressuscitar,
A roça, moribunda, ali chorava, agradecida,
Aquela doce chuva há tempos dela esquecida,
Chegando para as suas lágrimas ora enxugar!

O calejado homem, naquela graça concedida,
Que alento lhe deu, a felicidade e, sobrevida,
Ajoelhou-se e agradeceu, pedindo em oração,
Ao Senhor, por aquela terra ali já tão sofrida,
Que nunca deixe chuva faltar no seu Sertão!!!!!



(Cantinho do Poeta Cigano)



















10 comentários:

Clarice Moreno disse...

Olá Carlos, olha eu aqui de novo, não preciso nem mais dizer que você escreve magnificamente bem, os seus poemas, os seus escritos, me transporta para dentro deles, como se eu fosse a própria personagem. Minhas emoções estão afloradas hoje, mas no sentido de tristeza, até chorei ao ler esta sua poesia. Digo que as emoções são as cores de nossa alma, e hoje a minha não está cor de rosa.
Beijo meu amigo, e parabéns Poeta!
Clarice

escuchando palabras disse...

cuantas palabras que evocan a sentimientos sinceros, besos

INTEGRAL DE MIM E DE MEU TEMPO ! disse...

Dizer que o poema é forte....está nas palavras....
Dizer que é lindo é redundante.
Poeta Cigano que lê a mão das coisas e as transforma em poesias!!!

Martha Marquez disse...

Meu querido amigo dos olhos claros,
Um beijo grande.
Linda poesia, meu lindo. Quanta sensibilidade poética.
Eu tenho uma poesia que também fala do sertão entitulada sonho de caboclo, vc conhece?
Hoje estou muito feliz pois levei meu livro para a editora. Dentro de 2 meses eu farei o lançamento.
Não é bom?
beijos salpicados de estrelas douradas,
Martha

La Gata Coqueta disse...



Te envío en alas de las nubes la brisa y la esencia de esta mañana, que nos envuelve en sus hojas con surcos de melodías, para endulzar las razones del pensamiento.

Un abrazo breve pero sentido
para iniciar la semana
con afectos presenciados.

Atte.
María Del Carmen




Clau disse...

Boa noite Carlos!
Que texto maravilhoso.
A chuva foi uma benção para o sertanejo e ele não esqueceu de agradecer a Deus,pela dádiva recebida.
Muito bom ler um poema que transborda sensibilidade.
Abraços \o/

manuela barroso disse...

Transportei-me para esse sertão e ouvi a chuva a abençoar as fendas da terra ressequida.
Depois, acordei da realidade do sonho que lia e ouvi as gotas caírem em fortes bátegas na minha vidraça.
Tal é o realismo e cadência que empresta às suas poesias, Carlos.
Aprecio-o muito porque a Natureza sempre ela (e o amor) como tema ou segredos que o ( nos )atraem.
Por isso amo Manoel de Barros.
Lindíssima Poesia!É um gosto vir aqui!
E o seu selinho já cá está! Obrigada
Grande abraço

Corpo-Alma disse...

Só aplaudir poeta... divinamente inspirado, que Deus conserve em ti essa sensibilidade. Abracos amigo!

iara vilella disse...

Caro Cigano, está sendo um prazer conhecê-lo. Honra-me com tua presença. Seja bem vindo.
Abraço.
iara.

Lua Negra disse...

A sensibilidade exala nessa linda poesia, de uma terra tão castigada, com com um povo tão impregnado de fé.

Querido amigo poeta seu selo hoje é destaque no "natureza".
Tenha um bom dia brilhante.
Beijinhos de paz.
Lua