Seguidores

quarta-feira, 31 de outubro de 2012


Meninos de rua...!!!

 








Poeta Cigano

Desnudos corpos, frágeis e levando a dor,
Sofridos e sem rumos e, direitos a sonhar,
De almas despojadas de carinhos e, amor,
Miseráveis seres, que não nos cabe olhar!

Apegam-se os seus “eus”, à sobrevivência,
Os custos não medem do pão a lhes saciar,
Pobres e famintos são, por que a decência,
Se a vil sociedade não quer lhes enxergar?

Expurgados, sujos, perambulam pela vida,
Nas ruas, praças, com suas dores e feridas,
Num hostil mundo, que não pensa ajudar!

São só restolhos sociais, viciados e ladrões,
Se suas vidas, não valem quaisquer tostões,
Por que então com elas, devemos importar?

Obs: Triste realidade.



(Cantinho do Poeta Cigano)


6 comentários:

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Aí está a realidde nesse mundo em que vivemos.Crianças esmolam maltrapilhas nas ruas,as vezes para saciarem a fome,outras para saciarem o vicio das drogas que as consome!

Abraços.

Carmen Lúcia

BRISA disse...

OI CARLOS
Uma triste realidade. Mais só Deus por eles.Amigos. Feliz DIA DAS BRUXAS.
Pó de estrelas,
gotas de orvalho,
um raio de luar
e algumas colheradas de carinho
Coloquei tudo para ferver
num enorme caldeirão.
Depois lentamente
coloquei um sorriso meu,
juntei essência de flores do campo
e algumas letrinhas,
roubadas claro, de uma antiga poesia.
Misturei tudo lentamente
e por fim coloquei dois ingredientes mágicos
uma porção de amor,
e duas doses enormes de amizade.
Enviei pra vc numa nuvem de sonho
e derramei no seu coração.
Pronto! Enfeiticei você!
Sua amizade será minha pra sempre.
e não existe antídoto pra essa magia.
Um abraço.

Zélia Cunha disse...

Oi Carlos

Estou retribuindo o carinho , a tua visita ao meu blog. Li teus poemas e confesso: fiquei emocionada! São lindos de uma sensibilidade tamanha, própria das pessoas cancerianas. Somos feitos de emoção, sensibilidade à flor da pele. Amamos a natureza, lua, estrelas, liberdade. Encontrei em teus poemas um pouco de mim.Mais uma vez, obrigada. Serás sempre bem vindo.
Um carinhoso abraço.

Marise Jalowitzki disse...

O MENDIGO


Estamos esperando os pequenos enquanto do outro lado da rua
Passa um rapazote mendigo
Ele chega perto de uma janela aberta
Para receber mais um "Não, não tenho nada!"
Além disso, um pequenês todo enfeitado
Late, late, late feroz, para afastar o inimigo
Que ameaça a tranquilidade da cegueira social.
A dona chega, profere a frase famosa e sorri para nós
"Viram, que cachorrinho esperto?"

Cigana Raicha disse...

Estava passeando pela net e vi seu bloguinho, gostei viu! Parabéns!
Lindissimo!!! Bjs e sucesso sempre!
Já estou seguindo. Depois passa lá no meu cantinho também, será um prazer, ótima semana pra vc, bjs
Cigana Raicha
http://ciganaluminosa.blogspot.com.br/

Nadia Bagatoli W. disse...

Oi.querido amigo Poeta Cigano..
Faço-te e retribuindo a visita novamente que me fizestes ao meu blog..Obrigada..
realmente a míseria e pobreza assola o nosso País,sendo muito rico e mal-distribuido...amei esta poesia que fala da nossa realidade..
Sempre serei tua seguidora e amiga.
Sempre conte comigo amigo Poeta Cigano...amo os teus pesnamentos cheios de ternura,amor,paixão e realidade..mil beijos querido..
Meu blog:nadiacelestinaethaliabagatoli.blogspot.com.br